O DIA DA ESPIGA


2962 vues

13083282_712150852220840_95547869389167993_n.jpg (86 KB)

DIA DE ESPIGA - Quinta-Feira de Ascensão.

A "Ascensão" é a comemoração do "ascensio" (latim) do Senhor Cristo pelos seus próprios poderes.

É dia solene, precedido de três dias de "rogação". Para esta festa há uma vígilia e uma oitava que se torna parte da novena para o Pentecostes.

No culto popular é o dia santo mais santo. De especial enfoque para a "hora". A "hora" é o espaço entre o meio-dia e a uma hora que tudo parava para adoração do Senhor. O pão não leveda, as águas não correm, as folhas não se cruzam, os pássaros não cantam nem fazem ninhos, nem o leite coalha.

 

13139082_1795342804027071_3201184818746753649_n.jpg (53 KB)

Neste dia apanha-se o "ramo da hora" que pode ser constituído de espigas, que simbolizam a fartura de pão; oliveira, para a abundância de azeite e paz; malmequeres, para a fortuna; alecrim, que dá saúde e força; papoila, para o amor e vida; e a videira para o vinho e a alegria. Estes ramos depois de feitos eram colocados junto dos oratórios ou atrás das portas e tinham o mesmo efeito que os ramos de oliveira e alecrim de Domingo de Ramos, ou seja quando queimados tinham o poder de aliviar as trovoadas. Este dito ramo só era trocado no ano seguinte.

"Chovendo n'Ascenção, até as pedras dão pão"

92bd7f083174d757ce8dd7cd3bd0d54b.jpg (33 KB)

TEXTO Gil Raro (pra pagina da Religiosidade do povo em Portugal)

fonte : https://www.facebook.com/Religiosidade-do-Povo-em-Portugal-1701633546731331/